Mídia do Blog

*Momentos de Introspecções com o Pastor Marcos Santos - MEPAC Regional 1 Recife - PE, Conheça-nos, Vem!*
"Este Espaço é Destinado para os Amantes da Excelente Literatura Bíblica para Elevação Espiritual e Moral"!!!

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Estudo que é Aplicado na MEPAC

Doutrina sobre escatologia em uma Visão “Sui Generis”

Escatologia é o ensino das últimas coisas que sobrevirão ao mundo, exemplo: A vinda de Cristo, arrebatamento da igreja, o anticristo, a grande tribulação, o milênio, juízo final, e outros acontecimentos ligados às últimas coisas.

Antes de iniciar este estudo, queremos lembrar aos nossos oficiais que a Igreja Evangélica Pentecostal Assembleia de Cristo desde seu nascimento aceita a doutrina Pré-tribulacionista e Pré-milenista, somos Pré-milenista e assim devemos continuar, a seguir daremos as diversas doutrinas sobre escatologia.

Diferentes visões sobre o arrebatamento da igreja
Existem cinco visões sobre o arrebatamento da igreja:

1] Arrebatamento parcial. 
Ensina que a igreja será dividida em duas partes; uma que sobe e outra que fica. Segundo essa doutrina, a que sobe é a parte santificada a que fica vai passar pela tribulação para que seus pecados sejam retirados pelo sofrimento.

Nossa resposta:
Rejeitamos este ensino com base na morte de Cristo, sem sofrimento da pessoa o pecado é removido pelo sangue de Jesus Cristo [Rm 5:9;Hb 10: 17], A Igreja é o corpo de Cristo não poderá ficar uma parte na terra e outra no céu [1ª Co 12: 12,13]. Os que irão ficar não farão parte da Igreja do Senhor resgatada pelo seu sangue.

2] Arrebatamento pós-tribulacionista.
Ensina que a igreja passará por sete anos de sofrimentos, resistirá o julgamento e a ira de Deus, no final da tribulação será levada para se encontrar com Jesus no ar para voltar imediatamente com Ele a terra.
É usado o texto em Jo 16: 33 que diz, no mundo pascereis por tribulações.

Nossa resposta:
Nas sagradas Escrituras a palavra tribulação é usada de duas maneiras diferentes, tanto é usada para descrever as provações que estamos sujeitas em nosso dia-a-dia e que devemos está preparado para isto, como é usada para descrever as terríveis provas que durarão sete anos quando a ira de Deus será derramada na terra sobre as pessoas por sua rejeição a Jesus e ao evangelho. Jo 16: 33 são palavras confortadoras, se refere às dificuldades dos nossos dias, nada tendo haver com a tribulação e perseguição do anticristo.

                                                                                                         01 Curso Doutrinal MEPAC





3] Arrebatamento em meio à tribulação.
Ensina que a igreja irá passar pelos primeiros três anos e meio dos sete anos da tribulação e que será arrebatada antes do início da segunda metade da tribulação.

Nossa resposta:
Também rejeitamos esta doutrina, a igreja não passará por nenhum período da tribulação prevista para Israel, escreve o profeta: Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, [Israel] e sobre a tua santa cidade [Jerusalém] [Dn 9: 24].
Para o Israel não convertido ao Senhor Jesus e o mundo por rejeitar o presente de Deus a vida eterna em Jesus Cristo, passarão pela tribulação.
Na tribulação haverá guerras, pestes, fome, doenças, desolações e morte como início da ira sendo derramada sobre a terra, mas os remidos pelo sangue do nosso Senhor Jesus Cristo não passarão por nenhum momento desses. 

4] Sem arrebatamento.
Essa visão sustenta que a igreja será vitoriosa na terra e irá anunciar o Reino no milênio e que não vai existir arrebatamento de ninguém e em hora alguma, se denomina reino agora.

Nossa resposta:
Rejeitamos esta doutrina com base nos ensinos paulinos, o apóstolo ensina que haverá o arrebatamento: Portanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada à trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitará primeiro; depois nós, os vivos, os que ficamos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor 1ªTs 4: 16,17.

Na sua segunda carta a Timóteo, o apóstolo Paulo declara que as pessoas perversas e impostoras irão de mal a pior, enganando e sendo enganadas [2ªTm 3: 13].
Nestes dias em que vivemos se cumpre aos nossos olhos não é difícil encontrar os tais, estão presentes em todo seguimento da sociedade e até convivendo com a Igreja do Senhor.  Jesus advertiu quando falou sobre o joio entre o trigo, eles permanecerão até o advento do Senhor onde será feito triagem entre santos e impuros, a pesar dessa doutrina não aceitar o arrebatamento da Igreja, vai acontecer porque o Senhor Jesus promete vir arrebatar sua Igreja, não importa dia nem hora, o importante é que Ele vem.
Os apóstolos acreditavam e instruíram a Igreja a acreditar, o próprio Cristo deixa esta promessa: Eis que venho sem demora. Bem-aventurado aqueles que guardam as palavras da profecia deste livro. Ap 22: 7.
                                                02 Curso Doutrinal MEPAC


5] Arrebatamento pré-tribulacionista.

Ensina que o arrebatamento da Igreja se dará antes do início da tribulação, a Igreja vai passar os sete anos nos céus participando da grande festa, as bodas do cordeiro.

Nossa resposta:
Aceitamos esta doutrina, sabemos que o arrebatamento é tremendo em sua vitória sobrenatural contra a morte, um milagre que o demônio não poderá imitar.

O Arrebatamento é um testemunho sobrenatural do Senhor Jesus que ganhou a vitória sobre a morte, na cruz Ele gritou a vitória: Está consumado. Está feito, o impossível foi realizado.

Entre as cinco diferentes visões sobre o arrebatamento da Igreja, a doutrina Pré-milenista em nossa visão é a mais correta.

Como já foi explicado, o verbo tribulação tem significado técnico e não técnico; quando é usado no sentido não técnico se refere às provações, sofrimentos que as pessoas enfrentam no seu cotidiano, quando é usada na forma técnica, se referem ao período de sete anos que se seguirá depois do arrebatamento da Igreja.

Quatro propósitos para a grande tribulação que está para vir:

1º, Fazer com que a nação de Israel reconheça que o Senhor Jesus é o Messias prometido.

2º, Julgar as nações pela tentativa de exterminar a nação de Israel e pelo abuso do povo gentio.

3º, Permitir que um mundo que rejeita a Cristo possa experimentar pessoalmente a tristeza e o sofrimento criado pelo império maligno e administrado por satanás, o anticristo e o falso profeta.

4º, Derramar a ira de Deus sobre todos os que rejeitaram o evangelho poder de Deus e salvação para os que crerem.


                                                                                                      03 Curso Doutrinal MEPAC
O Dia do Senhor

Ao contrário do que muitos imaginam o dia do Senhor não será um dia comum, será um dia singular um dia demais assim descreve o profeta: Aquele dia é dia de indignação, dia de angustia, e dia de alvoroço e desolação, dia de escuridade e negrume, dia de nuvens e de densas trevas, dia de trombeta e de rebate contra as cidades fortes e contra as torres altas Sf 1: 15,16.

O grande e terrível dia do Senhor representa juízo de Deus, aconteceu no passado e continua acontecendo no presente, vai até aos tempos do fim, à grande tribulação, ao juízo final, ao julgamento dos ímpios.  Será um tempo de angustia para aqueles que rejeitaram a mensagem de salvação, acontecerá depois do arrebatamento da igreja e terminará por ocasião do regresso visível de Jesus para julgar as nações, desenraizar o mal, destruir o anticristo e seus exércitos e implantar seu reino milenar, assim está declarado:
 
O dia do Senhor dos exércitos será contra todo soberbo e altivo, e contra todo o que se exalta, para que seja abatido.  Is 2: 12

Ah! Que dia! Porque o dia do Senhor está perto, e virá como assolação da parte do Todo-poderoso. Jl 1: 15

O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor.  Jl 2: 31

Pois eis que vem o dia, e arde como fornalha;... Ml 4: 1

O dia do Senhor vem como o ladrão de noite.  1ªTs 5: 2

Paulo chama o arrebatamento da igreja de o dia de Cristo [2ªTs 2:1;Fp 1.6,10].
A partir do versículo 2 desta segunda carta aos tessalonicenses Paulo se refere ao período da grande tribulação, a igreja estava passando por momento difícil sendo perseguida pelo Império romano e bombardeada por falsos ensinos, os irmãos perguntam ao apóstolo se aquela tribulação era a prevista, Paulo responde que não e passa a explicar acontecimentos que irão suceder naquele tempo chamando de o dia do Senhor evitando a igreja ser enganada.

O arrebatamento forma a união definitiva de Cristo com a sua Igreja chamada de boda do cordeiro, a Igreja é noiva do Cordeiro, o Senhor prometeu festejar esse dia no Reino do Pai [Mt 26: 29;  Ap 19: 7 a 9].

                                                                                                         04 Curso Doutrinal MEPAC

Os do arrebatamento parcial alegam que os santificados serão levados antes da tribulação e que o restante da igreja passará pelo julgamento.
   
Como pré-tribulacionista ensinamos que a igreja não passará pela tribulação predita a Israel, a igreja está na proteção do sangue do nosso Senhor Jesus Cristo. Moisés marcou com sangue os umbrais das casas dos israelitas no Egito, o sangue lhes dava proteção contra o destruidor salvaguardando seus primogênitos de serem mortos naquela noite. A Igreja está comprada com o sangue do Senhor Jesus, tem sua proteção, jamais passará pela determinada tribulação.

A tribulação é uma época de ira, trevas, julgamento, indignação, destruição e morte. Está escrito que a Igreja será salva da ira    [1ªTs 1: 10], mas o mundo sem Cristo provará esse dia incluindo Israel [Rm 2: 8,9], é o momento anunciado para eles.

A igreja do Senhor Jesus não precisa de punição para ser purificada, sua limpeza é feita pelo sangue de Jesus o Cristo e nunca pelo sofrimento [Mt 26: 27,28]. O sangue do Senhor nos limpa de todas as culpas de pecado.

A tribulação que estamos passando não é aquela prevista e reveladas aos profetas, a Igreja em Tessalônica estava sendo perseguida por Roma e alguns pregadores falavam que seria aquela a tribulação, os irmãos escreveram a Paulo que lhes responde ainda não ser aquela a grande tribulação, eles não estavam vivendo a tribulação determinada, ela só se dará depois do rapto da Igreja                [2ªTs 2: 1 a 12].

O homem da iniquidade ou perverso que o apostolo se refere, é o anticristo, aquele que se opõe a Cristo. O anticristo ainda não se manifestou porque o Espírito Santo lhe resiste até o arrebatamento da igreja, mas seus adeptos nunca deixaram de existir desde o princípio, é isto que os apóstolos escrevem: [2ªTs 2: 7; 1ª Jo 2: 18]

Sodoma e demais cidades daquela época eram grandes pecadores, o copo da iniquidade transbordou não existindo mais tolerância, as cidades atingiram o nível da destruição, mas existia Ló e sua família, vejamos como os anjos falam para Ló: Apressa-te, refugia-te nela; pois nada possamos fazer, enquanto não tiveres chegado lá           Gn 19: 22.
Enquanto Ló e sua família estavam na cidade da destruição, nada poderia ser feito, assim é com a Igreja enquanto a Igreja do senhor estiver aqui, o anticristo está detido.

05 Curso Doutrinal MEPAC

A Igreja é o sal que derrota a corrupção, quando a Igreja for tomada satanás tem a liberdade de operar com toda sua ira, os flagelos previstos e revelados ao profeta em Patmos se darão nesse tempo com data marcada para início e conclusão, mas só acontecerá depois que a santa Igreja for arrebatada.  

Na gloria a igreja se veste de linho finíssimo resplandecente e puro, revela os atos de justiça dos santos [Ap 19:8]. Será coroada com a coroa da justiça e participará do banquete preparado exclusivamente para ela.
[2ªTm 4: 8 Ap 19: 9]
                                                                                                
                                                                                                                 

Três Visões doutrinárias sobre o Milênio

A respeito do Milênio existem três visões doutrinarias diferente, são elas:
Pré-milenista;
Pós-milenista; 
Amilenista.

Visão Pós-milenista

Muitos pós-milenistas creem que a era milenar iniciou-se quando Cristo subiu ao céu, e outros creem que ela surgirá quando o evangelho houver sido pregado em toda terra, promovendo uma era áurea de Justiça e da paz para a humanidade. Defende uma interpretação preterista das profecias apocalípticas, e crê que o sermão profético de Jesus, narrado em Mateus 24, cumpriu-se ainda naquela geração, com a queda de Jerusalém pelas mãos dos romanos.

Nossa resposta:
Não aceitamos este ensino porque requer um Milênio feito pelo homem num mundo que está ficando cada vez pior. As escrituras descrevem o mundo numa corrupção continua um modelo que o ser humano nunca poderá evitar.
Ensinar que a grande tribulação aconteceu nos anos 70 do primeiro século da era cristã não está correto, a grande tribulação é um tempo de juízo, fúria que será derramado sobre os incrédulos e àqueles que calcaram aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança ofendendo o Espírito da graça. [Hb 10: 26 a 29]
Não aceitamos o pretérito.

06  Curso Doutrinal MEPAC

Visão amilenista [amilenismo, ou amilenianismo]

Do ponto de vista amilenista não haverá um Reino de Cristo literal na terra por mil anos, crê que o milênio deve ser interpretado simbolicamente, ao contrário do que a palavra deixa a perceber.
O amilenismo clássico crê num Milênio que se iniciou com a primeira vinda de Cristo, representando o período do evangelho, que segue entre a ressurreição de Cristo e a segunda vinda de Cristo. Entende, assim, a primeira ressurreição de modo espiritual, se a segunda morte é a separação de Deus no lago de fogo, a primeira ressurreição é a união com Cristo até a ressurreição dos justos, para o juízo final. Logo, espiritualmente, os mortos em Cristo já estariam participando do milênio no Paraíso, encontrados no terceiro céu, onde Deus habita. Durante esse período, Satanás estaria preso de modo não total, ficando inerte, mas teria seu poder limitado com a morte e ressurreição de Cristo, de modo que não pode impedir o crescimento do Evangelho. Esta é visão amilenista.


                                                                                                         Curso Doutrinal MEPAC

De modo geral, o milênio, na visão amilenista, seria o período da dispensação da graça, onde os justos falecidos habitariam com Deus e satanás teria seu poder limitado, culminando com a volta de Cristo e com o Juízo Final e único, iniciando a Eternidade.

Nossa resposta:                                                                                                          
Não aceitamos a doutrina do amilenismo por não interpretar corretamente os mil anos ensinados na sagrada Escritura Apocalipse capítulo 20 versículos 1 ao 6. Satanás ainda não está preso como o amilenismo ensina [Ap 20: 1 a 3]. Satã está solto e bem ativo neste planeta terra, em todos os momentos se revelam suas obras maléficas.
Na visão amilenista os mil anos seria a dispensação da graça, mas o período da dispensação da graça não se resume há mil anos; estamos no século vinte e um e ainda, sem a Igreja os justos mortos não serão recompensados a recompensa será naquele dia, o dia em que todos os santos justos ressuscitarão e seremos arrebatados com a Igreja, isto vai acontecer. [Hb 11: 39,40;     2ªTm 4: 8; Ap 20: 6 ]


07 Curso Doutrinal MEPAC

Visão Pré-milenista

O pré-milenismo, ou pré-milenarismo, é a visão de que a segunda vinda de Cristo acontece antes de seu Reino Milenar, e que o Reino Milenar é um reinado de um período literal de mil anos aqui na terra.
 Na vinda do Senhor Jesus os santos que estiverem vivos serão transformados e os santos mortos serão ressuscitados dentre os mortos e ambos serão arrebatados, todos esses santos receberão corpos glorificados e imortais. Eles encontrarão Cristo nos ares e retornarão após sete anos para governar com Cristo a terra por mil anos. Esse período de mil anos será de paz e justiça mundial. No final desse período, satanás será solto de sua prisão para enganar as nações. Inúmeros exércitos se rebelarão e atacarão Cristo e os santos em Jerusalém; esses exércitos serão destruídos por fogo do céu. Após a derrota desses exércitos rebeldes, acontecerá a segunda ressurreição e o julgamento final; a terra será purificada pela a ação do fogo que limpará a terra de toda imundice então começará o estado eterno só os justos e os justificados pelo sangue do Senhor viverão na terra eternamente.

Como Pré-milenista aceitamos e defenderemos esta doutrina, por ser a melhor interpretação escatológica.
                               








Atenção: “Estudo Retirado do Curso da MEPAC 2, ensinamento doutrinal da Missão Evangélica Pentecostal Assembleia de Cristo, ministério que eu professo e defendo, meu Pastor Presidente Estadual José Marques, juntamente com o corpo eclesiástico formamos uma Família Cristã unificada nos ensinamentos Cristológico”.


Atenciosamente
Pastor e Pedagogo Marcos Santos
Vice Presidente Regional 1 Recife - PE




                                       
                             
                                                                                                       12 Curso Doutrinal MEPAC


3 comentários:

  1. Meu queridíssimo Pastor Marcos Santos, se você é um fiel defensou da doutrina pré-milênista por que manter esse estudo de adventista em seu blog? Só serve para confundir. Um grande abraço meu querido fica na santa paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por publica nassa doutrina escatológica em seu blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, meu amado Pastor Presidente José Marques, faltou-me tempo, mas agora mesmo estou excluindo, um forte abraço, shallom!!!

      Excluir